Afugentamento de aves em unidades marítimas

Foto: Divulgação / Aiuká
Foto: Divulgação / Aiuká

Viviane Barquete fez um treinamento para o uso do equipamento AVIX Autonomic Laser, apropriado para o afugentamento de aves e fornecido pela Bird Control Group. Em particular, para a Aiuká, esse equipamento servirá para afugentar os atobás-grandes (Sula dactylatra) que pernoitam no turret do FPSO Espírito Santo, da Shell. A previsão para o primeiro acionamento do aparelho é no dia 28 de janeiro, com a presença de representantes do IBAMA; do professor Luís Fábio Silveira, da USP; de Valeria Ruoppolo e da própria Viviane.
O treinamento foi ministrado por Uilian Andreis, da BR4Science, empresa que revende esse equipamento para o Brasil, e consistiu na configuração que será usada no laser quando o aparelho estiver a bordo. “O laser é um dispositivo de afugen-tamento e não deve ser apontado para o animal, mas sim para o chão. A ave, quando percebe a luz do laser, a interpreta como uma ameaça e sai do local onde está”, explica Viviane.
“Há a possibilidade de que volte para o local e, nesse caso, o laser deve ser disparado novamente”.
Esse equipamento a laser foi desenvolvido especificamente com o objetivo de espantar as aves e é utilizado em lavouras e galpões com presença de pombos, entre outros casos.
A aglomeração de aves marinhas em unidades marítimas é objeto de estudo da Aiuká, que vem trabalhando em análises das causas dessas aglomerações e em diversas técnicas de afugentamento desses animais, em especial fragatas e atobás.