Pacientes do mês de março

Carcará
Entre os pacientes do COP RJ, esteve uma coruja-caburé (Glaucidium minutissimum), levada para lá por um cidadão que a encontrou em sua residência em Rio das Ostras. Embora estivesse alerta e quieta, a ave apresentou sinais neurológicos como incoordenação motora e o pescoço voltado para o lado e para baixo, além de não empoleirar e permanecer no fundo da caixa de transporte. Durante o tratamento e após sua transferência para um recinto maior, foi recuperando-se aos poucos no decorrer dos 62 dias que ficou em reabilitação. Ela voltou a posicionar normalmente o pescoço, empoleirou e conseguiu voar de forma coordenada. Também caçou presa viva para se alimentar. O anilhamento e a biometria foram realizados antes da soltura, no dia 10 de março.