Animais para adoção

Diversos cães e gatos já foram encaminhados para adoção em decorrência do desenvolvimento de um projeto de resgate de fauna doméstica e silvestre para uma empresa que atua no Rio de Janeiro. Esse trabalho inclui a captura, cuidados veterinários, castração e encaminhamento para adoção de cães e gatos que ocorrem em áreas de risco da empresa, comprometendo a sua própria segurança e também a dos funcionários. Os animais são mantidos em Rio das Ostras e em Macaé, no Rio de Janeiro, até serem encaminhados para um lar adotivo. 

Esse projeto demonstra a multidisciplinaridade das áreas de conhecimento da equipe da Aiuká, capacitada para atuar desde emergências envolvendo fauna oleada ou não, passando pela reabilitação de espécies silvestres, até o resgate e cuidados veterinários com animais domésticos.
 Para conhecer esses animais acesse ao Instagram @ProjetoAiukaAdote
ou em nosso site: www.aiuka.com.br/adote

Taxa de reabilitação de animais passa de 70%

Um dos indicadores que comprova a excelência técnica da Aiuká na execução do PMAVE é a taxa de reabilitação das aves recebidas ainda vivas, mas debilitadas, resgatadas em unidades marítimas mantidas por operadores clientes da empresa. Do total de indivíduos que receberam cuidados em 2020, 73,3% foram reabilitados e quase todos voltaram para o ambiente natural, com exceção de apenas um pombo-comum (Columba livia) anilhado, pertencente à associação columbófila e encaminhado para um criadouro. Os animais que não conseguiram sobreviver ingressaram extremamente debilitados e não reagiram aos tratamentos. 

Eles receberam cuidados no Centro Operacional da Aiuká em Rio das Ostras (COP Aiuká RJ), no Rio de Janeiro. Essas instalações são preparadas para todo o processo de recebimento, manejo e reabilitação de fauna marinha (aves, mamíferos e tartarugas). Tem aproximadamente 730 m² de área construída e suas instalações replicam a boa experiência do COP Aiuká SP na implementação do processo de resgate e reabilitação de fauna.

Entre o mês de março e início de abril, foram protocolados no Ibama os relatórios anuais do PMAVE de todos os clientes atendidos pela Aiuká. Esses documentos reúnem todas as informações do ano anterior sobre a incidência de avifauna nas unidades marítimas em atividades de exploração e produção de petróleo, em áreas offshore. São produzidas várias estatísticas, que incluem espécies encontradas e os períodos de maior ocorrência ao longo do ano. 

Contrato renovado para o Campo de Lapa – Bacia de Santos

Neste mês, a Aiuká e a operadora do Campo de Lapa renovaram seu contrato até 2024, atestando a qualidade dos serviços de prontidão para gestão de emergências com fauna oleada, realizados desde 2018. Com a renovação, a Aiuká, além das atividades relacionados a emergências, também continua a executar o Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE).

PMAVE é uma condicionante do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) para o licenciamento ambiental dos empreendimentos marítimos de exploração e produção de petróleo e gás natural. É um serviço prestado de forma pioneira pela Aiuká no Brasil. O objetivo é registrar todas as ocorrências de avifauna debilitada, ferida ou morta, bem como aglomerações nas unidades marítimas, em atendimento a todos os critérios estabelecidos pelo Ibama.

O Campo de Lapa, por meio do FPSO Cidade de Caraguatatuba, tem capacidade de produção de até 100 mil barris de petróleo por dia. O FPSO opera a aproximadamente 250 km da costa do município de Ilhabela, no estado de São Paulo, em lâmina d’água variando entre 2.120 e 2.180 metros de profundidade. 

Compromisso com o meio ambiente

Aiuká mantém um Plano de Gestão de Resíduos que identifica e prevê todas as etapas de segregação, acondicionamento e descarte adequado dos resíduos gerados em todas as suas áreas. Por exemplo, os dois Centros Operacionais da Aiuká (COPs SP e RJ) contam com um sistema apropriado de segregação  dos resíduos gerados durante todas as etapas de  manejo e limpeza dos animais atingidos por produtos contaminantes. 

As áreas destinadas à limpeza e manejo dos animais são interligadas por um conjunto de calhas que recolhem os efluentes contaminados e os destinam para armazenamento em um tanque de contenção, seguindo todas as normas e legislações vigentes.

Programas de resgate de fauna em terra e no mar

Aiuká vem desenvolvendo um programa de resgate de fauna para a indústria de energia elétrica. No Parque Estadual da Serra do Mar, torres de transmissão de energia estão sendo substituídas, processo que incorre na supressão da mata e na consequente necessidade de resgate, afugentamento e translocação da fauna local. 

O projeto durará vários meses e, diariamente, a equipe a Aiuká acompanha as atividades desenvolvidas pelas frentes de trabalho de supressão em campo. Elas incluem a identificação e a incidência de todas as espécies, criando assim um banco de dados. O objetivo desse trabalho é a prevenção e, dessa forma,  a diminuição dos impacto à fauna no local. A troca das torres é uma medida preventiva de manutenção da rede de distribuição de energia elétrica na região sudeste, onde se localiza a maior concentração populacional do país.

Esse trabalho evidencia a qualificação dos profissionais da Aiuká, especializados tanto na captura e cuidados de fauna silvestre terrestre como marítima. Nesse último caso, o embarque dos médicos veterinários da Aiuká em unidades marítimas do setor de petróleo se torna necessário quando um animal encontrado a bordo esteja instável clinicamente, tenha alto status de conservação ou coloque em risco os técnicos em casos de animais peçonhentos que requeiram manejo especializado.  Os profissionais da Aiuká são treinados em cursos requeridos como exigência para a permanência no ambiente offshore, em especial o Tropical Helicopter Underwater Escape Training (T-Huet) e o Curso Básico de Segurança de Plataforma (CBSP).

São treinamentos de salvatagem, fundamentais para o trabalho em unidades marítimas e pré-requisitos de segurança, realizados continuamente pela equipe para o cumprimento dos critérios necessários ao embarque imediato em um cenário de emergência.

Visitas técnicas ao Porto de Santos

Em fevereiro, a equipe da Aiuká fez uma série de visitas técnicas ao Porto de Santos para determinar as diferentes estratégias necessárias em um possível cenário de emergência ambiental. A empresa é a responsável pelos planos de proteção à fauna em terminais que estocam produtos químicos, serviço que ainda inclui exercícios simulados e reabilitação dos animais que possam a vir ser impactados.

Esse trabalho está alinhado com o Plano de Ação para Proteção à Fauna Silvestre (Prontidão de Fauna), serviço prestado pela Aiuká com o objetivo de resgatar e destinar a fauna que, acidentalmente, ocorra na área de terminais de armazenamento de produtos químicos. A Aiuká socorre os animais debilitados ou contaminados com óleo ou outros produtos e cuida de sua reabilitação com o objetivo de devolvê-los ao seu ambiente natural.