Resultados em 2020

Embora 2020 tenha sido um ano marcado pelos obstáculos em decorrência da pandemia da covid-19, a Aiuká conseguiu superá-los, fato comprovado pelos diversos trabalhos realizados ao longo do ano passado. A organização atendeu quase 80 acionamentos referentes ao Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE), serviço prestado de forma pioneira pela Aiuká no Brasil.

Os treinamentos relacionados às faunas marinha e terrestre foram diversos e envolveram tanto os clientes como parceiros e universidades. No caso desses dois últimos, os eventos ocorreram no âmbito da responsabilidade socioambiental da Aiuká, colaborando com a capacitação de profissionais e estudantes. A Aiuká também está atenta à capacitação de sua própria equipe que, em 2020, participou de mais de 100 horas de atualizações técnicas, tanto internas quanto externas.

Desenvolvimento de novos projetos

Aiuká está executando um projeto de resgate de fauna doméstica e silvestre para uma empresa que atua no Rio de Janeiro. Esse trabalho inclui a captura, cuidados veterinários, castração e encaminhamento para adoção de cães e gatos que ocorrem em áreas de risco da empresa, comprometendo a sua própria segurança e também a dos funcionários. Os animais são mantidos em Rio das Ostras e em Macaé até serem encaminhados para um lar adotivo. Em breve, o site da Aiuká disponibilizará informações sobre os animais e formulários de adoção para os interessados.

Serviços para o Porto de Santos

O ano de 2021 começa com a ampliação dos serviços prestados pela Aiuká que, agora, atenderá empresas do Porto de Santos. Esse trabalho envolve a disponibilização de kits de instalações móveis para facilitar a resposta em caso de emergências envolvendo a fauna local, além da participação em simulados e coordenação de resgate, estabilização e reabilitação dos animais no COP Aiuká SP.

A experiência da Aiuká na participação em emergências off shoreon shore e inland, envolvendo diferentes espécies, foi o diferencial da concretização desse novo contrato, estabelecendo que a organização será responsável pelo atendimento à fauna em nove terminais que movimentam carga líquida no Porto de Santos

Resposta à emergência em Silva Jardim (RJ)

Ainda em dezembro e após dois meses de serviços, foi concluído o trabalho da Aiuká na resposta a uma emergência em Silva Jardim (RJ). A organização ficou à frente das atividades de atendimento à fauna oleada, atingida após tentativa de furto de combustível em oleoduto localizado em área de Mata Atlântica.

Adotando todas as medidas necessárias para evitar a disseminação da covid-19, as equipes da Aiuká se revezaram para atender os animais. Acidentes decorrentes desses crimes têm sido constantes e, além de impactar as espécies que vivem em áreas protegidas, prejudicam o ecossistema local.

Aiuká participa de mais um evento on-line

Dezembro registrou mais uma participação da Aiuká em evento on-line, o “5º Encuentro de Centros de Rescate de Fauna Silvestre”, quando a organização teve mais uma oportunidade de compartilhar suas experiências na gestão de emergência envolvendo o resgate e reabilitação de animais. A diretora da Aiuká, a médica veterinária Valeria Ruoppolo, apresentou os temas “Trabalho em redes” e “Triagem de animais no ingresso ao centro de reabilitação”. O evento foi promovido pela Polícia Ambiental do Governo de Córdoba, em conjunto com o EcoParque da Cidade de Buenos Aires e a Fundación Teimakèn.

Disseminação de conhecimento

Os eventos on-line vêm se apresentando como grandes aliados na continuidade do trabalho da Aiuká em disseminar a expertise de sua equipe para públicos diversos. O público acadêmico faz parte deles e, no final de outubro, os médicos veterinários da Aiuká, Jéssica Domato e Rodolfo Silva, participaram da Jornada Acadêmica de Medicina Veterinária da Universidade Paulista (UNIP). Eles abordaram os temas “Emergências ambientais e impactos à fauna” e “Reabilitação e despetrolização de aves”, respectivamente. No mesmo período, a oceanóloga Viviane Barquete, gestora da equipe de Projetos da Aiuká, participou de dois eventos on-line: “Monitoramento de fauna em emergências ambientais”, promovido pela Rede Biológica do Conhecimento, e a live “Participação do oceanógrafo brasileiro no planejamento e resposta de incidentes com derramamento de óleo no mar e rios”, organizada pela Associação Brasileira de Oceanografia (Aoceano).

Serviços sob demanda

A Aiuká oferece uma série de serviços relacionados a emergências com a fauna e, entre eles, está a realização de capacitações sob demanda para atender necessidades específicas das empresas. Em novembro, por exemplo, a organização conduziu um treinamento para funcionários de uma empresa prestadora de serviço para o setor petrolífero. O objetivo foi orientar os profissionais a respeito do manejo com a fauna que vem ocorrendo em seus galpões. São animais típicos do ecossistema marinho e a equipe da Aiuká explicou suas principais características, bem como os procedimentos para identificação de casos em que estão debilitados e como realizar o manejo básico de atendimento até que o animal seja resgatado pela Aiuká.

Resposta à emergência em tempos de covid-19

Em 10 de novembro, a Aiuká participou de mais um evento do Global Oiled Wildlife Response System (GOWRS), sistema formado por um seleto grupo de entidades internacionais especializadas em emergências com fauna oleada e do qual a organização é a única representante latino-americana. Desta vez, foi realizado um exercício com as outras dez participantes do GOWRS em conjunto com a equipe da Oil Spill Response Ltd. (OSRL), a fim de simular uma resposta de emergência durante uma pandemia, cenário que reproduziu o atual momento mundial.

O principal objetivo consistiu em avaliar os principais desafios de gestão, logística e bem-estar físico e mental dos profissionais participantes da operação. Por exemplo, foram analisadas as necessidades específicas de equipamentos de proteção individual (EPIs) e de que forma a reposição desses recursos ocorreria em um país carente desses tipos de materiais. Além disso, a restrição de deslocamento entre os países e a obrigatoriedade da quarentena também foram considerados, entre outros aspectos. Os integrantes foram separados em três grupos a fim de buscar soluções para a viabilização da resposta e concluíram que seria possível efetuá-la mesmo diante da sua complexidade.

Esse simulado dá continuidade aos exercícios da indústria petrolífera com participação frequente da Aiuká. Só em outubro, por exemplo, foram realizados outros sete simulados por clientes da organização.