Programas de resgate de fauna em terra e no mar

Aiuká vem desenvolvendo um programa de resgate de fauna para a indústria de energia elétrica. No Parque Estadual da Serra do Mar, torres de transmissão de energia estão sendo substituídas, processo que incorre na supressão da mata e na consequente necessidade de resgate, afugentamento e translocação da fauna local. 

O projeto durará vários meses e, diariamente, a equipe a Aiuká acompanha as atividades desenvolvidas pelas frentes de trabalho de supressão em campo. Elas incluem a identificação e a incidência de todas as espécies, criando assim um banco de dados. O objetivo desse trabalho é a prevenção e, dessa forma,  a diminuição dos impacto à fauna no local. A troca das torres é uma medida preventiva de manutenção da rede de distribuição de energia elétrica na região sudeste, onde se localiza a maior concentração populacional do país.

Esse trabalho evidencia a qualificação dos profissionais da Aiuká, especializados tanto na captura e cuidados de fauna silvestre terrestre como marítima. Nesse último caso, o embarque dos médicos veterinários da Aiuká em unidades marítimas do setor de petróleo se torna necessário quando um animal encontrado a bordo esteja instável clinicamente, tenha alto status de conservação ou coloque em risco os técnicos em casos de animais peçonhentos que requeiram manejo especializado.  Os profissionais da Aiuká são treinados em cursos requeridos como exigência para a permanência no ambiente offshore, em especial o Tropical Helicopter Underwater Escape Training (T-Huet) e o Curso Básico de Segurança de Plataforma (CBSP).

São treinamentos de salvatagem, fundamentais para o trabalho em unidades marítimas e pré-requisitos de segurança, realizados continuamente pela equipe para o cumprimento dos critérios necessários ao embarque imediato em um cenário de emergência.

Resultados em 2020

Embora 2020 tenha sido um ano marcado pelos obstáculos em decorrência da pandemia da covid-19, a Aiuká conseguiu superá-los, fato comprovado pelos diversos trabalhos realizados ao longo do ano passado. A organização atendeu quase 80 acionamentos referentes ao Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE), serviço prestado de forma pioneira pela Aiuká no Brasil.

Os treinamentos relacionados às faunas marinha e terrestre foram diversos e envolveram tanto os clientes como parceiros e universidades. No caso desses dois últimos, os eventos ocorreram no âmbito da responsabilidade socioambiental da Aiuká, colaborando com a capacitação de profissionais e estudantes. A Aiuká também está atenta à capacitação de sua própria equipe que, em 2020, participou de mais de 100 horas de atualizações técnicas, tanto internas quanto externas.

Desenvolvimento de novos projetos

Aiuká está executando um projeto de resgate de fauna doméstica e silvestre para uma empresa que atua no Rio de Janeiro. Esse trabalho inclui a captura, cuidados veterinários, castração e encaminhamento para adoção de cães e gatos que ocorrem em áreas de risco da empresa, comprometendo a sua própria segurança e também a dos funcionários. Os animais são mantidos em Rio das Ostras e em Macaé até serem encaminhados para um lar adotivo. Em breve, o site da Aiuká disponibilizará informações sobre os animais e formulários de adoção para os interessados.

Novos parceiros unem-se à Aiuka

Mais duas empresas da área petrolífera contrataram os serviços da Aiuká em dezembro. A organização passa a oferecer prontidão para o atendimento de emergências envolvendo o monitoramento, resgate e a reabilitação de animais no Campo de Baúna e nos Campos de Opal e Titã (Bacias de Campos e Santos, respectivamente).

Os planos de prontidão oferecidos pela Aiuká são o Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE) e os Planos de Proteção à Fauna (PPAF) para atividades de exploração e produção de petróleo offshore e em terra. A Aiuká também se responsabiliza pela reabilitação dos animais encaminhados por intermédio da implementação desses planos ao responder tanto pela elaboração como pela execução desses serviços, que são condicionantes de licença para empreendimentos marítimos.

No Brasil, a Aiuká é pioneira na elaboração e implantação de PPAFs e PMAVEs para atividades offshore.

Resposta à emergência em Silva Jardim (RJ)

Ainda em dezembro e após dois meses de serviços, foi concluído o trabalho da Aiuká na resposta a uma emergência em Silva Jardim (RJ). A organização ficou à frente das atividades de atendimento à fauna oleada, atingida após tentativa de furto de combustível em oleoduto localizado em área de Mata Atlântica.

Adotando todas as medidas necessárias para evitar a disseminação da covid-19, as equipes da Aiuká se revezaram para atender os animais. Acidentes decorrentes desses crimes têm sido constantes e, além de impactar as espécies que vivem em áreas protegidas, prejudicam o ecossistema local.

Aiuká participa de mais um evento on-line

Dezembro registrou mais uma participação da Aiuká em evento on-line, o “5º Encuentro de Centros de Rescate de Fauna Silvestre”, quando a organização teve mais uma oportunidade de compartilhar suas experiências na gestão de emergência envolvendo o resgate e reabilitação de animais. A diretora da Aiuká, a médica veterinária Valeria Ruoppolo, apresentou os temas “Trabalho em redes” e “Triagem de animais no ingresso ao centro de reabilitação”. O evento foi promovido pela Polícia Ambiental do Governo de Córdoba, em conjunto com o EcoParque da Cidade de Buenos Aires e a Fundación Teimakèn.