Resultados em 2020

Embora 2020 tenha sido um ano marcado pelos obstáculos em decorrência da pandemia da covid-19, a Aiuká conseguiu superá-los, fato comprovado pelos diversos trabalhos realizados ao longo do ano passado. A organização atendeu quase 80 acionamentos referentes ao Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE), serviço prestado de forma pioneira pela Aiuká no Brasil.

Os treinamentos relacionados às faunas marinha e terrestre foram diversos e envolveram tanto os clientes como parceiros e universidades. No caso desses dois últimos, os eventos ocorreram no âmbito da responsabilidade socioambiental da Aiuká, colaborando com a capacitação de profissionais e estudantes. A Aiuká também está atenta à capacitação de sua própria equipe que, em 2020, participou de mais de 100 horas de atualizações técnicas, tanto internas quanto externas.

Serviços para o Porto de Santos

O ano de 2021 começa com a ampliação dos serviços prestados pela Aiuká que, agora, atenderá empresas do Porto de Santos. Esse trabalho envolve a disponibilização de kits de instalações móveis para facilitar a resposta em caso de emergências envolvendo a fauna local, além da participação em simulados e coordenação de resgate, estabilização e reabilitação dos animais no COP Aiuká SP.

A experiência da Aiuká na participação em emergências off shoreon shore e inland, envolvendo diferentes espécies, foi o diferencial da concretização desse novo contrato, estabelecendo que a organização será responsável pelo atendimento à fauna em nove terminais que movimentam carga líquida no Porto de Santos

Novos parceiros unem-se à Aiuka

Mais duas empresas da área petrolífera contrataram os serviços da Aiuká em dezembro. A organização passa a oferecer prontidão para o atendimento de emergências envolvendo o monitoramento, resgate e a reabilitação de animais no Campo de Baúna e nos Campos de Opal e Titã (Bacias de Campos e Santos, respectivamente).

Os planos de prontidão oferecidos pela Aiuká são o Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE) e os Planos de Proteção à Fauna (PPAF) para atividades de exploração e produção de petróleo offshore e em terra. A Aiuká também se responsabiliza pela reabilitação dos animais encaminhados por intermédio da implementação desses planos ao responder tanto pela elaboração como pela execução desses serviços, que são condicionantes de licença para empreendimentos marítimos.

No Brasil, a Aiuká é pioneira na elaboração e implantação de PPAFs e PMAVEs para atividades offshore.

Aiuká participa de mais um evento on-line

Dezembro registrou mais uma participação da Aiuká em evento on-line, o “5º Encuentro de Centros de Rescate de Fauna Silvestre”, quando a organização teve mais uma oportunidade de compartilhar suas experiências na gestão de emergência envolvendo o resgate e reabilitação de animais. A diretora da Aiuká, a médica veterinária Valeria Ruoppolo, apresentou os temas “Trabalho em redes” e “Triagem de animais no ingresso ao centro de reabilitação”. O evento foi promovido pela Polícia Ambiental do Governo de Córdoba, em conjunto com o EcoParque da Cidade de Buenos Aires e a Fundación Teimakèn.

Disseminação de conhecimento

Os eventos on-line vêm se apresentando como grandes aliados na continuidade do trabalho da Aiuká em disseminar a expertise de sua equipe para públicos diversos. O público acadêmico faz parte deles e, no final de outubro, os médicos veterinários da Aiuká, Jéssica Domato e Rodolfo Silva, participaram da Jornada Acadêmica de Medicina Veterinária da Universidade Paulista (UNIP). Eles abordaram os temas “Emergências ambientais e impactos à fauna” e “Reabilitação e despetrolização de aves”, respectivamente. No mesmo período, a oceanóloga Viviane Barquete, gestora da equipe de Projetos da Aiuká, participou de dois eventos on-line: “Monitoramento de fauna em emergências ambientais”, promovido pela Rede Biológica do Conhecimento, e a live “Participação do oceanógrafo brasileiro no planejamento e resposta de incidentes com derramamento de óleo no mar e rios”, organizada pela Associação Brasileira de Oceanografia (Aoceano).