Porto & Negócios

Valeria, o apresentador Maxwell Rodrigues e a advogada em Direito Ambiental Maria Cristina Gontijo
Valeria, o apresentador Maxwell Rodrigues e a advogada em Direito Ambiental Maria Cristina Gontijo

Valeria Ruoppolo foi convidada para participar do programa Porto & Negócios, que trata de questões relacionadas ao porto de Santos com convidados das mais diferentes áreas de atuação. Ela abordou, entre outras questões, os serviços prestados pela Aiuká às empresas portuárias.
O programa vai ao ar às terças-feiras, das 22h às 22h30, na Santa Cecília TV. A edição com a entrevista de Valeria irá ao ar em agosto.

Arraiá Aiuká

O melhor clima de “Arraiá” tomou conta da Sala de Treinamentos do COP SP no dia 5 de julho, quando a equipe vestiu fantasias julinas e se divertiu com jogos e gincanas. A diversão foi grande e as brincadeiras foram todas inspiradas nos objetivos do Desenvolvimento Humano Organizacional, reforçando, por exemplo, as competências profissionais estimuladas pela Aiuká. A equipe se revezou na organização e montagem das barracas.

O trabalho em Brumadinho continua

Reunião com IBAMA no início da resposta, em fevereiro
Reunião com IBAMA no início da resposta, em fevereiro

A Aiuká continua atuando na emergência de Brumadinho, trabalho que começou em fevereiro com força total e continua, mas com o formato de projeto.  A entidade responde pela liderança da equipe de fauna da seção de Planejamento da resposta, trabalho que equivale à inteligência da operação ao gerar informações que vão subsidiar planilhas, relatórios para os órgãos competentes, pareceres técnicos, entre outros.

Paciente do mês: Pombo-correio

Pombo correio
Um pombo-correio (Columba livia) originário das Ilhas Canárias, na Espanha, foi resgatado a cerca de 300 quilômetros da costa brasileira e encaminhado para reabilitação no Centro Operacional Aiuká em Rio das Ostras (COP Aiuká RJ). Além de sua identificação, a anilha apresentada pela ave possibilitou a descoberta de algumas informações, como o fato de já ter voado 3.600 quilômetros em diferentes competições.

Reabilitação de ninhada órfã marrecas

22/05/2019
A reabilitação de animais selvagens faz parte das atividades de responsabilidade socioambiental da Aiuká. Mais uma ação desse trabalho ocorreu no último dia 22, quando uma ninhada órfã de 8 marrecas-toicinho (Anas bahamensis) foi solta após reabilitação. A soltura ocorreu com o apoio do Grupamento Ambiental da Guarda Civil Municipal de Praia Grande, que fez o resgate das aves e as encaminhou à Aiuká.
Fotos acervo Aiuká

Duas aves voltam ao seu habitat

Uma garça-moura e um guará-vermelho voltaram para seu habitat depois de receberem cuidados da equipe da Aiuká. Conheça a história de cada um deles:

A garça-moura – Resgatada no dia 9 de outubro pela equipe da Aiuká na sede da administração do Parque Estadual Xixová-Japuí, em São Vicente, a garça-moura (Ardea cocoi) foi encontrada por uma moradora do bairro Japuí na margem de um canal. Os primeiros cuidados no Centro Operacional Aiuká (COP Aiuká SP) consistiram em hidratação e vermifugação e os exames clínicos não indicaram nenhuma anormalidade. Logo nos primeiros dias, ela passou a se alimentar voluntariamente com pequenos peixes no recinto especialmente preparado para ela, reproduzindo seu ambiente natural. Dez dias depois do seu resgate, foi liberada no Parque Municipal Ézio Dall’Aqua, em Praia Grande, área de proteção ambiental.

O guará-vermelho (Eudocimus ruber) – A ave foi encontrada pela equipe do Instituto Biopesca em Mongaguá e também resgatada pela Aiuká. Assim como a garça-moura, ela apresentou boas condições clínicas e foi mantida em reabilitação durante pouco tempo, período em que ganhou peso. Tratava-se provavelmente de uma fêmea, constatação possível em função do seu tamanho. Os machos dessa espécie são 10% a 15% maiores do que as fêmeas e a que esteve em reabilitação no COP Aiuká estava pesando cerca de 550 gramas, média apresentada pelo gênero. Ela foi liberada no dia 19 de outubro, junto com a garça-moura.

Estudos indicam que o guará-vermelho apresenta essa cor em suas penas em função de sua alimentação, que consiste em caranguejos de água doce, além de outras pequenas presas. O vermelho das penas do guará se deve a um pigmento chamado cataxantina, um derivado do caroteno, responsável pela cor das cascas dos caranguejos e evidenciada quando são cozidos.

Dia Mundial da Limpeza tem apoio da Aiuká

Voluntários em 150 países devem participar do Dia Mundial de Limpeza na Estônia #worldcleanupday2018, uma ação que visa promover a mobilização de pessoas de todo o mundo para a limpeza de suas cidades, bairros, praias e praças e parques. Essa iniciativa chama a atenção para o descarte dos resíduos sólidos urbanos e, na América Latina e Caribe, tem como embaixadora a médica veterinária Valeria Ruoppolo, diretora de Projetos da Aiuká. Em entrevista à newsletter eletrônica desta semana produzida pelo movimento, ela destaca ter encontrado muita cooperação por parte dos países envolvidos, embora os problemas sociais na região sejam tão graves que sobrepõem às questões ambientais.

Aiuká Cleanup Day

Já no dia da ação, entre 9h10 e 9h15, Valeria Ruoppolo dará um depoimento ao vivo no Facebook para os organizadores do movimento na Estônia, país onde a iniciativa foi originada. O depoimento de Valeria se soma a outros 80, dados em sequência por líderes do movimento em todo o mundo, e ocorre em São Vicente. Nesse município, uma ação integrante do movimento é realizada pela Prefeitura, com a participação da bióloga Carolina Galvão, da Aiuká.

Mais informações em https://www.worldcleanupday.org/ e https://www.limpabrasil.org/

Aiuká coordena ações de resposta à fauna em simulado da Petrobras

15/08/2018

No início de agosto, a Aiuká coordenou as ações de resposta à fauna impactada por óleo em um simulado de emergência da Petrobras. O objetivo principal foi testar a elaboração e implementação do Plano de Ação do Incidente (IAP, na sigla em inglês), avaliar a capacidade de gerenciamento de resposta a emergências, as ações de proteção à Reserva Biológica Marinha na região afetada e o uso de novas tecnologias no suporte à operação.

O patamar mais elevado de gravidade em ações de proteção à vida animal foi exercitado. Os profissionais da Aiuká conduziram as forças-tarefa simuladas de monitoramentos aéreo, embarcado e terrestre, a captura, o transporte, a estabilização e a reabilitação da fauna fictícia oleada.

Foram montadas duas tendas de estabilização, uma na praia de Mariscal e outra na de Bombinhas, onde foram prestados os primeiros socorros antes do encaminhamento da fauna fictícia para o Centro de Reabilitação e Despetrolização de Animais Marinhos em Florianópolis. No total, foram atendidos 29 animais marinhos vivos, a maioria deles pinguins-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus), na forma de réplicas indicando a quantidade de óleo que teriam em suas penas.

Além da Aiuká, profissionais autônomos e de outras organizações da área de reabilitação de fauna marinha participaram da operação, entre eles a Associação R3 Animal e o Projeto Baleia Franca. Três especialistas do International Bird Rescue (IBR), Michelle Bellizi (Response Services Manager), JD Bergeron (Executive Director) e Barbara Callahan (Response Services Director), também integraram a equipe da Aiuká. O IBR é a principal instituição parceira da Aiuká para emergências catastróficas em Tier 3 envolvendo a fauna oleada.

O simulado foi realizado com mobilização em campo nos dias 7 e 8 de agosto em Bombinhas (SC) e consistiu no afundamento do navio-plataforma FPSO Cidade de Itaguaí, com o vazamento de aproximadamente 300 mil m³ de óleo.

No total, 427 profissionais participaram da simulação da Petrobras, que começou no dia 24 de julho, dia em que ocorreu o naufrágio fictício do navio-plataforma, e culminou com o toque de óleo na costa de Bombinhas, no dia 8 de agosto. Não houve o lançamento real de nenhuma substância para simular a presença de óleo.

Fotos: Acervo Aiuká

DSCF1789 DSCF1797_menor