Desenvolvimento de novos projetos

Aiuká está executando um projeto de resgate de fauna doméstica e silvestre para uma empresa que atua no Rio de Janeiro. Esse trabalho inclui a captura, cuidados veterinários, castração e encaminhamento para adoção de cães e gatos que ocorrem em áreas de risco da empresa, comprometendo a sua própria segurança e também a dos funcionários. Os animais são mantidos em Rio das Ostras e em Macaé até serem encaminhados para um lar adotivo. Em breve, o site da Aiuká disponibilizará informações sobre os animais e formulários de adoção para os interessados.

Serviços para o Porto de Santos

O ano de 2021 começa com a ampliação dos serviços prestados pela Aiuká que, agora, atenderá empresas do Porto de Santos. Esse trabalho envolve a disponibilização de kits de instalações móveis para facilitar a resposta em caso de emergências envolvendo a fauna local, além da participação em simulados e coordenação de resgate, estabilização e reabilitação dos animais no COP Aiuká SP.

A experiência da Aiuká na participação em emergências off shoreon shore e inland, envolvendo diferentes espécies, foi o diferencial da concretização desse novo contrato, estabelecendo que a organização será responsável pelo atendimento à fauna em nove terminais que movimentam carga líquida no Porto de Santos

Resposta à emergência em Silva Jardim (RJ)

Ainda em dezembro e após dois meses de serviços, foi concluído o trabalho da Aiuká na resposta a uma emergência em Silva Jardim (RJ). A organização ficou à frente das atividades de atendimento à fauna oleada, atingida após tentativa de furto de combustível em oleoduto localizado em área de Mata Atlântica.

Adotando todas as medidas necessárias para evitar a disseminação da covid-19, as equipes da Aiuká se revezaram para atender os animais. Acidentes decorrentes desses crimes têm sido constantes e, além de impactar as espécies que vivem em áreas protegidas, prejudicam o ecossistema local.

Resposta à emergência em tempos de covid-19

Em 10 de novembro, a Aiuká participou de mais um evento do Global Oiled Wildlife Response System (GOWRS), sistema formado por um seleto grupo de entidades internacionais especializadas em emergências com fauna oleada e do qual a organização é a única representante latino-americana. Desta vez, foi realizado um exercício com as outras dez participantes do GOWRS em conjunto com a equipe da Oil Spill Response Ltd. (OSRL), a fim de simular uma resposta de emergência durante uma pandemia, cenário que reproduziu o atual momento mundial.

O principal objetivo consistiu em avaliar os principais desafios de gestão, logística e bem-estar físico e mental dos profissionais participantes da operação. Por exemplo, foram analisadas as necessidades específicas de equipamentos de proteção individual (EPIs) e de que forma a reposição desses recursos ocorreria em um país carente desses tipos de materiais. Além disso, a restrição de deslocamento entre os países e a obrigatoriedade da quarentena também foram considerados, entre outros aspectos. Os integrantes foram separados em três grupos a fim de buscar soluções para a viabilização da resposta e concluíram que seria possível efetuá-la mesmo diante da sua complexidade.

Esse simulado dá continuidade aos exercícios da indústria petrolífera com participação frequente da Aiuká. Só em outubro, por exemplo, foram realizados outros sete simulados por clientes da organização.

Preparados para emergências

Logística e recursos humanos preparados para o sucesso de uma resposta a emergências com fauna oleada são fundamentais, principalmente diante da pressão e agilidade necessária que se apresentam nessas situações. Com mais de 10 anos de experiência, a Aiuká atende a esses requisitos para o sucesso da resposta porque dispõe de uma equipe especializada no gerenciamento de emergências e de dois Centros Operacionais, o COP Aiuká SP e o COP Aiuká RJ, completamente adaptados aos serviços necessários nesses casos.

As instalações do Centro Operacional Aiuká localizado em Praia Grande (COP Aiuká SP), no litoral paulista, são adaptadas para o processo de recebimento, manejo e reabilitação de fauna marinha (aves, mamíferos e tartarugas). O COP está construído em 750 m² e suas áreas de trabalho se dividem em administrativas e veterinárias, pertinentes ao atendimento de uma emergência envolvendo fauna oleada.

Já o Centro Operacional Aiuká RJ (COP Aiuká RJ) está localizado em Rio das Ostras, município localizado cerca de 200 quilômetros ao norte da cidade do Rio de Janeiro. As instalações têm aproximadamente 876 m² de área construída e suas instalações replicam a boa experiência do COP Aiuká SP na implementação do processo de resgate e reabilitação de fauna.