Resultados em 2020

Embora 2020 tenha sido um ano marcado pelos obstáculos em decorrência da pandemia da covid-19, a Aiuká conseguiu superá-los, fato comprovado pelos diversos trabalhos realizados ao longo do ano passado. A organização atendeu quase 80 acionamentos referentes ao Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE), serviço prestado de forma pioneira pela Aiuká no Brasil.

Os treinamentos relacionados às faunas marinha e terrestre foram diversos e envolveram tanto os clientes como parceiros e universidades. No caso desses dois últimos, os eventos ocorreram no âmbito da responsabilidade socioambiental da Aiuká, colaborando com a capacitação de profissionais e estudantes. A Aiuká também está atenta à capacitação de sua própria equipe que, em 2020, participou de mais de 100 horas de atualizações técnicas, tanto internas quanto externas.

Novos parceiros unem-se à Aiuka

Mais duas empresas da área petrolífera contrataram os serviços da Aiuká em dezembro. A organização passa a oferecer prontidão para o atendimento de emergências envolvendo o monitoramento, resgate e a reabilitação de animais no Campo de Baúna e nos Campos de Opal e Titã (Bacias de Campos e Santos, respectivamente).

Os planos de prontidão oferecidos pela Aiuká são o Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE) e os Planos de Proteção à Fauna (PPAF) para atividades de exploração e produção de petróleo offshore e em terra. A Aiuká também se responsabiliza pela reabilitação dos animais encaminhados por intermédio da implementação desses planos ao responder tanto pela elaboração como pela execução desses serviços, que são condicionantes de licença para empreendimentos marítimos.

No Brasil, a Aiuká é pioneira na elaboração e implantação de PPAFs e PMAVEs para atividades offshore.

Paciente: Coleirinho

Um coleirinho (Sporophila caerulescens), uma pequena ave terrestre, foi encontrado dentro de um container e encaminhado para a Aiuká por meio de um acionamento no âmbito do Projeto de Monitoramento de Impactos de Plataformas e Embarcações sobre a Avifauna (PMAVE). Tratava-se de um macho adulto que, depois de alguns dias em observação, teve atestado seu bom estado clínico e foi solto em seu ambiente natural.